Total de visualizações de página

25 março 2012

Então as bobeiras...

"As nuvens rosas... elas me obrigam a lembrar de quem eu sou"

"E o vento que sopra é sempre diferente. Todo dia um novo vento. Não se mantenha ao amor."





Pense bem se os olhares fossem obrigatoriamente recíprocos. Eu, claro, teria que olhar para a minha direita e pensar naquela pessoa que guarda um carinho profundo por mim, ou para aquelas pessoas, muitas pessoas, de quem eu, sem querer (nem tão “sem” quanto eu mesma gostaria de reconhecer) , me aproveitei até onde minha capacidade foi.

                Mas... talvez você pudesse olhar também um pouco mais para mim.

Então... eu paro e penso.
É muito errado eu querer isso de você, pois são coisas que não quero para mim. Machucar outra pessoa. A hostilidade, ela é ruim. Mas ainda é melhor do que um carinho incerto, ou um amor forçado.
Por muitas vezes, eu quis, e quero, que você não se importe com a minha presença. Quando eu passo  por você prefiro evitar seus olhos, ou a sua aparência tão fiel aos meus gostos, mas que é o exato motivo do meu “querer ficar longe”. É que eu não me sinto muito bem perto de pessoas bonitas.
                Isso... chega a ser meio engraçado. E um pouco ofensivo.
De qualquer forma é triste o seu olhar pra mim, cheio de incompreensão e talvez um pouco de divertimento. Por dentro você sabe que é demais pra mim, não é mesmo?
                Eu... sou simplesmente meio amargurada. Quando fico “bonita” é pra você, mas não quero que olhe pra mim. É engraçado.
Isso aconteceu vezes, mais uma vez e outra, e outra. Você não é o primeiro, o que talvez fira um pouco o seu ego, mas pode aliviar suas tenções e preocupações de incômodos futuros e sua beleza está salva.
O desapego é minha arma contra isso que as pessoas chamam de amor platônico.
Ai eu suspiro, giro um pouco na cadeira e dou uma risada dessas bobeiras.
                Como é que... todo dia eu cavo covas, pra morre de pouquinho em pouquinho, sem nunca perder um gostinho, lá no fundo do desgosto, de felicidade.
                Essas neuroses doloridas, elas me divertem.

5 comentários:

  1. Caramba! Às vezes é perigoso deixarmos nos sozinhos com nossos pensamentos.

    Gostei do post. E dessa parte:

    Eu... sou simplesmente meio amargurada. Quando fico “bonita” é pra você, mas não quero que olhe pra mim. É engraçado.


    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Olá flor passando pra conhece seu blog , e adorei tudo vc esta de parabéns estou seguindo vou adora ter vc no meu blog beijos flor..

    http://rosanadicasfemininas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Amei conhecer seu blog.
    Super criativo.
    Super seguindo, aproveita para conhecer o mais estilosa e se gostar siga também.

    http://www.maisestilosa.com

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu adorei!
    Tava com saudade dos posts e novamente vc conseguiu me impressionar com seu lindo texto Mari *-*
    Beijo
    http://ins--piracoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. A M!h roubou meu comentário ;; eu também ia dizer que estava com saudade daqui e dos textos. Mas é, faculdade já tá sugando nossas energias né Twin?

    E ah, já conversamos sobre o "assunto" desse texto né? ;D

    Sabe que pode contar tudo pra mim, eu vou sempre te ouvir com a maior atenção e, caso eu não ache uma resposta pra sua dúvida, irei continuar ao seu lado te dando apoio e carinho.

    Te amo muito sister ;*

    ps: preciso resucitar meu blog tadinho ;;

    http://diamondsforlittlethings.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir